Mudamos a imagem do blog para homenagear este gesto histórico entre uma manifestante e um policial da Policia Militar.

O Judiciário (MPF), as ongs CIMI (Conselho Indigenista Missionário) e Survival International, o Conselho Mundial de Igrejas (CMI) e demais picaretas se uniram para praticarem a picaretagem indigenista. O povo do Vale do Araguaia e os guerreiros do Posto da Mata (Suiá Missu) se uniram para defenderem o Brasil. Um herói, vestido de maneira simples, e desarmado, avança contra vários soldados federais pesadamente armados. Seu heroísmo marcou a ação da picaretagem indigenista: um homem só, trabalhador, enfrentando o maior aparato militar já montado neste país pelos picaretas do judiciário, CIMI, CMI e Survival international. É por este motivo que seu ato é retratado no logo deste site: um homem, só, enfrentando a canalhice indigenista de norte americanos, brasileiros (indigenistas sem carater, vendidos à estratégia das grandes potencias), ingleses, noruegueses, alemâes, canadenses, italianos e etc. Um homem só enfrentando a canalhice deste mundo. Esta é a tônica deste site: um homem só enfrentando o mundo. Esta luta não é para muitos, é para os poucos que não foram contaminados pelo politicamente correto, que não tiveram seus valores relativizados pelo gramscismo que impera em toda a sociedade brasileira.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.
Você se pergunta porque os povos do mundo estâo em guerra em busca de seus direitos. Povos, raças, grupos de todos os matizes, todos estâo lutando com unhas e dentes por seus direitos. Em 1964 um ministro norte americano, William Branham, chegou a uma conclusâo, na qual o Resistencia Suiá Missu concorda: as cartas em apocalipse (2-3) às Igrejas da Ásia eram proféticas e se referiam a períodos de tempo pelo qual a igreja passaria e segundo o ministro, a ultima carta, a de Laodicéia, representaria esta era moderna na qual vivemos. Até o nome se encaixa na luta dos povos por direitos: Laodicéia - Direito dos Povos. Quando vocês veem o povo nas ruas, manifestando-se, lembre-se - estamos vivendo a ultima era da igreja: Era de Laodiceia, que significa a Era dos Direitos dos Povos

Arquivo do blog

Resistencia Suiá Missú

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

A FARSA COMPROVADA





PARA OS MINISTROS DO SUPREMO: ONG INGLESA REVELA, SEM QUERER, UMA FARSA EM RAPOSA SERRA DO SOL

Lembram-se daquele “conflito” havido numa fazenda em Raposa Serra do Sol, que resultou em alguns índios feridos e na prisão do fazendeiro Paulo César Quartiero? Pois é... À época, acusei as ONGs se incitar os índios — já que foram eles a invadir a fazenda — e de buscar cadáveres para legitimar a sua luta. Tive de ouvir o berreiro de sempre: “Oh, você é contra os povos da floresta, os bons selvagens, o 'çerumano', o escambau a quatro... Eu não. Sou favorável a que os arrozeiros fiquem lá, produzindo comida para o Brasil. Afinal, eles ocupam apenas 0,7% de um pais chamado Raposa Serra do Sol.

Pois é... Aquele conflito tinha toda a cara de ser provocado. Afinal, a filmagem já estava ali, sendo diligentemente feita. Mas, claro, a minha suspeita, como sabem, derivava do fato de que eu, dizem, não gosto de índios e “oprimidos” em geral.]

Então façam o seguinte. Entrem no site da Survival International, uma ONG inglesa que "cuida" de índios — presente em Raposa Serra do Sol — e vejam lá postado o vídeo (endereço aqui), acompanhado de um texto. O título: “Dramatic video shows attack on Indian village” — em português: “Vídeo dramático mostra ataque a uma aldeia indígena”. Mentira. Os índios não estavam em sua aldeia. Mentira ainda mais grotesca: a área onde estão as fazendas de arroz, nas margens da reserva, nunca foram habitadas por índios. Os que chegaram ali buscavam trabalho e comida.

Mas sigamos. Logo no primeiro parágrafo, lê-se: “An extraordinary video released by the Indigenous Council of Roraima (CIR) and Survival International shows the moment hired gunmen attack a Makuxi Indian village in Brazil.” Traduzo para quem não sabe: “Um video extraordinário divulgado pelo Conselho Indígena de Roraima (CIR) e pela Survival Internacional motra o momento em que pistoleiros de alguel atacam uma aldeia macuxi no Brasil”. Já sabemos que não era aldeia. Sabemos também que não são “pistoleiros de aluguel”, mas funcionários da fazenda.

O CIR é aquela entidade que congrega, no papel ao menos, pouco mais de cinco mil dos estimados 17 mil índios que vivem na reserva. Uma de suas fontes de financiamento é a Fundação Ford. Neste momento, representantes seus estão na Europa para divulgar a causa — com o grau de verdade que se vê aqui. Leiam lá: o texto informa serem freqüentes os ataques de “pistoleiros de aluguel” dos fazendeiros de arroz aos índios — o que também é mentira deslavada.


O mais lamentável é que as bobagens publicadas por uma ONG como a Survival são copiadas por alguns idiotas no Brasil e divulgadas como verdades absolutas. Viram, senhores ministros do Supremo? É assim que se formam as causas.

Ah, sim: a ONG informa que foi o próprio CIR que fez o vídeo. Se foi, então concluo que foi o CIR que programou a invasão da fazenda, em busca dos cadáveres. (Reinaldo Azevedo)

Observando:-O texto acima foi garimpado no site do Reynado Azevedo do dia 20 /06/2008. No dia 30/04/2008 postava neste blog artigo em que apontava o seguinte:-
CIR-Conselho Indigenista de Roraimae CMI- Conselho Mundial das Igrejas
Religiosos querem índio brigando

O Conselho Indigenista de Roraima, ligado ao Conselho Mundial das Igrejas, proibiu a entrada de "não-índios" na reserva Raposa Serra do Sol, em Roraima, e declarou "persona non grata" o líder dos arrozeiros, Paulo César Quartiero. Só falta declarar a sua independência, como um arremedo de Kosovo. O conselho também vai divulgar manifesto contra a decisão do Supremo Tribunal Federal de impedir desocupação à força.

Esta nota tirei lá na coluna do Claudio Humberto, aí foi procurar saber o que é esse CIR - Conselho Indigenista de Roraima, e deu pra perceber que existe muito mais alienìgena por lá do que indigena. Veja a lista de parceiros do CIR :-

::Parceiros do CIR::
Alianza Amazonica
Cafod
Cese
Cimi
Coiab
CCPY
Greenpeace
Inst. Socioambiental
Movimondo
Norad
Opan
Oxfam
Pro Indios di Roraima
Pro Regenwald
Rainforest Foundation
Survival International
TNC
Comentário do Verdureiro Eliel, admin do blog
Não é somente em Raposa Serra do Sol que vimos os picaretas do CIMI e Survival International produzirem fraudes e sabotagens. Em Suiá Missu, no Vale do Araguaia, Mato Grosso estes mesmos picaretas sabotaram uma ponte vital da BR 158 para culparem os trabalhadores rurais ali agredidos pelo aparato militar montado por estes canalhas do indigenismo internacional. Os mesmos metodos usados pelos picaretas do CIMI e Survival International estão repetindo em Suiá Missu, no Vale do Araguaia.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Hino de Resistência e PAZ pela Suiá Missu!!!

As armas estavam nas mãos de policiais brasileiros, mas a estratégia de desintrusão foi tomada nos salôes da ONU, palacios europeus de governo e Casa Branca por canalhas norte americanos, canadenses, ingleses (Principe Charles, dono da ong Survival international), sacerdotes católicos e protestantes do Conselho Mundial de Igrejas e indigenistas brasileiros sem carater