Mudamos a imagem do blog para homenagear este gesto histórico entre uma manifestante e um policial da Policia Militar.

O Judiciário (MPF), as ongs CIMI (Conselho Indigenista Missionário) e Survival International, o Conselho Mundial de Igrejas (CMI) e demais picaretas se uniram para praticarem a picaretagem indigenista. O povo do Vale do Araguaia e os guerreiros do Posto da Mata (Suiá Missu) se uniram para defenderem o Brasil. Um herói, vestido de maneira simples, e desarmado, avança contra vários soldados federais pesadamente armados. Seu heroísmo marcou a ação da picaretagem indigenista: um homem só, trabalhador, enfrentando o maior aparato militar já montado neste país pelos picaretas do judiciário, CIMI, CMI e Survival international. É por este motivo que seu ato é retratado no logo deste site: um homem, só, enfrentando a canalhice indigenista de norte americanos, brasileiros (indigenistas sem carater, vendidos à estratégia das grandes potencias), ingleses, noruegueses, alemâes, canadenses, italianos e etc. Um homem só enfrentando a canalhice deste mundo. Esta é a tônica deste site: um homem só enfrentando o mundo. Esta luta não é para muitos, é para os poucos que não foram contaminados pelo politicamente correto, que não tiveram seus valores relativizados pelo gramscismo que impera em toda a sociedade brasileira.

Você se pergunta porque os povos do mundo estâo em guerra em busca de seus direitos. Povos, raças, grupos de todos os matizes, todos estâo lutando com unhas e dentes por seus direitos. Em 1964 um ministro norte americano, William Branham, chegou a uma conclusâo, na qual o Resistencia Suiá Missu concorda: as cartas em apocalipse (2-3) às Igrejas da Ásia eram proféticas e se referiam a períodos de tempo pelo qual a igreja passaria e segundo o ministro, a ultima carta, a de Laodicéia, representaria esta era moderna na qual vivemos. Até o nome se encaixa na luta dos povos por direitos: Laodicéia - Direito dos Povos. Quando vocês veem o povo nas ruas, manifestando-se, lembre-se - estamos vivendo a ultima era da igreja: Era de Laodiceia, que significa a Era dos Direitos dos Povos

Arquivo do blog

Resistencia Suiá Missú

Bandidagem antropológica

Produtor rural enlouquece depois de picaretas da Funai, CIMI e Judiciário expulsá-lo de suas terras

Matenias Jacinto Pires era um pequeno Produtor Rural que morava na área da antiga Fazenda Suiá Missú, ele e a sua família foram despejados da terra em janeiro deste ano pela Força Nacional de Segurança depois que a Funai considerou a área Terra Indígena. Matenias estava morando com a família em um barraco de lona em alto Boa Vista até que há duas semanas surtou.

O ex pequeno produtor rural hoje sem terra ficou desorientado após perder tudo o que construiu ao longo da sua vida, ficou dias sem conversar com a família e amigos, até que certo dia "saiu doido no mato”, e foi encontrado dois dias depois com sede e fome próximo a BR 158 no entroncamento com a MT 322, no localidade conhecida como Posto do Arno.

Segundo a Secretaria de Saúde de Alto Boa Vista, seu Matenias estava numa situação de surto agudo o que foi preciso ser encaminhado para Goiânia, capital do Estado de Goiás, onde está internato em uma clínica, aos cuidados de outras pessoas, já que a família não tem condições de acompanhá-lo.

Segundo o médico que atende Alto Boa Vista, Ricardo Araújo, o caso do senhor Matenias não é isolado. Segundo ele diversas pessoas que foram despejadas da Suiá Missú têm procurado as unidades de saúde com problemas psicológicos e que o município não tem dado conta de atender a todos, pois a demanda é muito grande.

O caso de Mantenias não é único. Arlindo Alves das Neves, que também foi expulso pela Funai da Suiá-Missu, está em uma clínica em Goiânia com problemas psicológicos, e a família sem condições de dar auxilio. Já Antonio Alfredo de Jesus morreu com depressão após a desintrusão da gleba Suiá Missú, inúmeras pessoas estão com problemas de saúde, e vivem em barracos de lona, barracões, casas emprestadas e contam agora com a solidariedade para continuar sobrevivendo.

Até agentes da Força Nacional vem tendo problemas psicológicos em função do convívio com a miséria espalhada na região pela ação da Funai: Drama dos produtores rurais expulsos da Fazenda Suíá-Missu pela Funai comove agente da Força Nacional

Sem um plano de desintrusão o governo fica calado diante de uma verdadeira “fábrica” de pobres criado após o despejo de mais de 7 mil pessoas que moravam dentro da reserva Marãowatsédé, e muitos ainda tem esperanças de um dia poder voltar para suas antigas moradias.

O cantor Lobão postou hoje em uma rede social um vídeo mostranto o que sobrou da vila de Estrela do Araguaia após a expulsão dos brancos pela Funai.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Hino de Resistência e PAZ pela Suiá Missu!!!

As armas estavam nas mãos de policiais brasileiros, mas a estratégia de desintrusão foi tomada nos salôes da ONU, palacios europeus de governo e Casa Branca por canalhas norte americanos, canadenses, ingleses (Principe Charles, dono da ong Survival international), sacerdotes católicos e protestantes do Conselho Mundial de Igrejas e indigenistas brasileiros sem carater