Mudamos a imagem do blog para homenagear este gesto histórico entre uma manifestante e um policial da Policia Militar.

O Judiciário (MPF), as ongs CIMI (Conselho Indigenista Missionário) e Survival International, o Conselho Mundial de Igrejas (CMI) e demais picaretas se uniram para praticarem a picaretagem indigenista. O povo do Vale do Araguaia e os guerreiros do Posto da Mata (Suiá Missu) se uniram para defenderem o Brasil. Um herói, vestido de maneira simples, e desarmado, avança contra vários soldados federais pesadamente armados. Seu heroísmo marcou a ação da picaretagem indigenista: um homem só, trabalhador, enfrentando o maior aparato militar já montado neste país pelos picaretas do judiciário, CIMI, CMI e Survival international. É por este motivo que seu ato é retratado no logo deste site: um homem, só, enfrentando a canalhice indigenista de norte americanos, brasileiros (indigenistas sem carater, vendidos à estratégia das grandes potencias), ingleses, noruegueses, alemâes, canadenses, italianos e etc. Um homem só enfrentando a canalhice deste mundo. Esta é a tônica deste site: um homem só enfrentando o mundo. Esta luta não é para muitos, é para os poucos que não foram contaminados pelo politicamente correto, que não tiveram seus valores relativizados pelo gramscismo que impera em toda a sociedade brasileira.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.
Você se pergunta porque os povos do mundo estâo em guerra em busca de seus direitos. Povos, raças, grupos de todos os matizes, todos estâo lutando com unhas e dentes por seus direitos. Em 1964 um ministro norte americano, William Branham, chegou a uma conclusâo, na qual o Resistencia Suiá Missu concorda: as cartas em apocalipse (2-3) às Igrejas da Ásia eram proféticas e se referiam a períodos de tempo pelo qual a igreja passaria e segundo o ministro, a ultima carta, a de Laodicéia, representaria esta era moderna na qual vivemos. Até o nome se encaixa na luta dos povos por direitos: Laodicéia - Direito dos Povos. Quando vocês veem o povo nas ruas, manifestando-se, lembre-se - estamos vivendo a ultima era da igreja: Era de Laodiceia, que significa a Era dos Direitos dos Povos

Arquivo do blog

Resistencia Suiá Missú

quinta-feira, 9 de maio de 2013

PEC-215 e CPI DA FUNAI DEVEM MARCAR SUA EXTINÇÃO



Kalixto Guimarães/ Correspondente do Araguaia

        A política indigenista da FUNAI se tornou um idiotismo nacional tendo ainda, o agravante da subversão. Tanto que a proposta de Emenda Constitucional, PEC-215 de autoria do deputado Almir Sá do PPB-RR, apresentada em 2000, após doze longos anos de tramitação sofrível e cheia de boicotes por parte de alguns parlamentares  e ONGs,  parece caminhar mais rápida devido o acirramento dos conflitos na guerra do indigenato. Considerando a relevância social e visando resguardar alguns aspectos da segurança e soberania territorial do País em relação aos processos demarcatórios de terras indígenas, a PEC-215, subtrai da FUNAI, a autonomia absoluta do órgão em tais procedimentos. O Congresso Nacional passara a ter competências na aprovação de demarcações e criação de novos territórios indígenas e quilombolas inclusive, na ratificação de áreas já homologadas. Os natizistas*, ongueiros e todos que sobrevivem da antropologia vampirista sugando das populações nativas o sangue, os seus saberes e os reais direitos que possuem de se tornarem gente, cidadãos brasileiros conscientes e verdadeiramente donos e participantes das riquezas minerais, da flora e fauna existentes no território nacional estão de orelha em pé e nem dormem diante da eminente possibilidade de aprovação da PEC-215.
        Os pareceres e requerimentos últimos datados de novembro e dezembro de 2012, feitos pelos deputados; Valtenir Pereira (PSB-MT), João Campos (PSDB-GO) e Luiz Heinze (PP-RS), solicitando a colocação da PEC-215, na ordem do dia e na pauta de votação do Congresso desponta uma esperança de que esta perto do fim a bagunça governamental e internacional em cima das comunidades nativas do Brasil. Vamos mais alem em dizer que a FUNAI, esta com os seus dias contados. Um órgão acéfalo e completamente inútil ao índio, a Fundação se tornou tão corrupta e corporativista que há muito, deixou de cumprir suas funções e responsabilidade com as populações indígenas se atendo aos desenfreados processos de criação e expansão dos territórios indígenas. As ações inconseqüentes das FUNAI se tornaram intoleráveis a ponto da Câmara dos Deputados, receber recentemente (13/03/2013), da parte dos deputados; Nilson Leitão (PSDB-MT), Jerônimo Goergen (PP-RS), Luiz Heinze (PP-RS), Alceu Moreira (PMDB-RS E Waldir Colatto (PMDB-SC), o pedido de instalação de uma Comissão Parlamentar de Investigação, CPI, sobre esta Fundação e sua relação promíscua com o INCRA e organismos internacionais. A extinção da FUNAI será um fato natural após a aprovação da PEC-215. Uma Secretaria Especial de Assuntos Indígenas, subordinada aos Ministérios da Justiça e de Integração Nacional poderá substituí-la com muito mais eficácia, findando com o descontrole funcional e as conexões suspeitas dessa Fundação em especial, com as ONGs estrangeiras.
         O momento urge que a sociedade brasileira se une em torno da votação e aprovação da PEC-215. Todos os seguimentos sociais do campo e das cidades devem participar do debate e conhecer em maiores detalhes a política indigenista por hora imposta ao País a qual, vem provocando um perigoso desgaste nas relações e na convivência entre as populações indígenas e os não índios. A CPI da FUNAI vai revelar ao conhecimento público os escândalos, a podridão desse órgão e o desserviço que tem prestado ao País e aos indígenas.  A segregação dos nativos em redomas impenetráveis formando guetos étnicos isolados e sem direito a evolução intelectual e cientifica constitui um crime racial imperdoável. O índio não deve ser colocado como objeto de estudo permanente, sendo visto apenas como espécie humana do elo primitivista e condenado a viver tal como bicho do mato contextualizado como “povos da floresta.” Essa classificação antropológica defendida pela FUNAI e pelos doutores da Associação Brasileira de Antropologia, ABA, é uma autentica violação dos direitos humanos e esconde uma perigosa subversão contra a nação brasileira. Separá-lo culturalmente e territorialmente da sociedade nacional e prepará-lo para uma vida própria e independente é a tônica das ONGs internacionais que sonham em dividir o Brasil criando vários Estados indígenas. A comprovação desse plano macabro esta na Declaração Universal dos Direitos dos Povos Indígenas, um documento fabricado na ONU e assinado pelo ex-presidente Lula, que em seus dois mandatos consecutivos se preocupou unicamente em conquistar para o Brasil a sede da copa de 2014 e as olimpíadas de 2016. Certamente, a CPI da FUNAI, vai dizer muito mais sobre o assunto.
*NATIZISTAS, termo homônimo em referencia ao nazismo hitleriano para definir os indigenistas que segregam e isolam os nativos, tirando-lhes o direito natural de participarem da sociedade nacional e da escala evolutiva da humanidade. Link da matéria
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Hino de Resistência e PAZ pela Suiá Missu!!!

As armas estavam nas mãos de policiais brasileiros, mas a estratégia de desintrusão foi tomada nos salôes da ONU, palacios europeus de governo e Casa Branca por canalhas norte americanos, canadenses, ingleses (Principe Charles, dono da ong Survival international), sacerdotes católicos e protestantes do Conselho Mundial de Igrejas e indigenistas brasileiros sem carater