Mudamos a imagem do blog para homenagear este gesto histórico entre uma manifestante e um policial da Policia Militar.

O Judiciário (MPF), as ongs CIMI (Conselho Indigenista Missionário) e Survival International, o Conselho Mundial de Igrejas (CMI) e demais picaretas se uniram para praticarem a picaretagem indigenista. O povo do Vale do Araguaia e os guerreiros do Posto da Mata (Suiá Missu) se uniram para defenderem o Brasil. Um herói, vestido de maneira simples, e desarmado, avança contra vários soldados federais pesadamente armados. Seu heroísmo marcou a ação da picaretagem indigenista: um homem só, trabalhador, enfrentando o maior aparato militar já montado neste país pelos picaretas do judiciário, CIMI, CMI e Survival international. É por este motivo que seu ato é retratado no logo deste site: um homem, só, enfrentando a canalhice indigenista de norte americanos, brasileiros (indigenistas sem carater, vendidos à estratégia das grandes potencias), ingleses, noruegueses, alemâes, canadenses, italianos e etc. Um homem só enfrentando a canalhice deste mundo. Esta é a tônica deste site: um homem só enfrentando o mundo. Esta luta não é para muitos, é para os poucos que não foram contaminados pelo politicamente correto, que não tiveram seus valores relativizados pelo gramscismo que impera em toda a sociedade brasileira.

Vídeos Resistencia Suiá Missú

Loading...
Você se pergunta porque os povos do mundo estâo em guerra em busca de seus direitos. Povos, raças, grupos de todos os matizes, todos estâo lutando com unhas e dentes por seus direitos. Em 1964 um ministro norte americano, William Branham, chegou a uma conclusâo, na qual o Resistencia Suiá Missu concorda: as cartas em apocalipse (2-3) às Igrejas da Ásia eram proféticas e se referiam a períodos de tempo pelo qual a igreja passaria e segundo o ministro, a ultima carta, a de Laodicéia, representaria esta era moderna na qual vivemos. Até o nome se encaixa na luta dos povos por direitos: Laodicéia - Direito dos Povos. Quando vocês veem o povo nas ruas, manifestando-se, lembre-se - estamos vivendo a ultima era da igreja: Era de Laodiceia, que significa a Era dos Direitos dos Povos

Arquivo do blog

Resistencia Suiá Missú

domingo, 13 de janeiro de 2013

MANIFESTO PELA EXPULSÃO DO CMI, CIMI e SURVIVAL INTERNATIONAL DO BRASIL

MANIFESTO PELA EXPULSÃO

DO CMI, CIMI e SURVIVALINTERNATIONAL DO BRASIL.


Por Eliel Santos


Uma das características da globalização é a profunda interdependência que existe entre as naçôes. Isto serve de pretexto para que algumas naçôes mais hegemônicas influencie governos a aceitarem ingerência de organismos internacionais em assuntos internos de sua nação. E o mais terrível, a ingerência de ONGs, que atuam como se fossem órgãos do próprio estado, mesmo tendo sua sede e seus financiadores em outros países.

A ingerência de organizaçôes não-governamentais em assuntos internos de países periféricos é a melhor jogada dos países hegemônicos. Elas infiltram-se no seio da sociedade, cooptam pessoas ingênuas para suas fileiras, doutrinam as mesmas e, se não bastasse, ainda conseguem infiltrar-se em órgãos oficiais como Ministério do Meio Ambiente, Incra e Funai.

A constante intervenção de ongs na vida doméstica brasileira tem sido o "Calcanhar de Aquiles" do desenvolvimento da nação. Entranhadas profundamente nos governos pós-85, as ongs se tornaram forças paralelas que atuam sem restriçôes jurídicas, militares ou políticas. Um exemplo terrível desta infiltração é o caso das reservas indígenas: com 13% do território reservado para os indígenas, as ongs tornaram-se de um dia para o outro agentes políticos dos mesmos.

Elas se colocam como ponte entre a sociedade brasileira e os indíos, não admitindo qualquer interferência em seu monopolio. Quando qualquer agente estatal atreve-se a interferir no governo das ongs sobre a vida política das comunidades indígenas, logo são advertidos de que recorrerão a organismos internacionais.

O Brasil perdeu o governo sobre 13% de seu território.

Toda vez que alguma instituição do estado brasileiro tenta infiltrar-se na vida política das comunidades indígenas, o governo paralelo das ongs logo movimenta-se para impedir que seu monopólio seja contestado sobre a vida política dos indíos.

Há um governo paralelo das ongs sobre as comunidades indígenas.
Elas pregam constantemente que certas instituiçôes do estado brasileiro não devem adentrar as reservas indígenas para não corromperem os silvícolas lá situados, mas se você observar, estas mesmas ongs entram lá e os politizam a seu bel prazer.

Se você prestar atenção na retórica das lideranças indigenas do Brasil,  observará que elas falam a mesma língua que as ongs picaretas CIMI, CIR e Survival International.

Se o fato da convivência com a sociedade brasileira é interpretado como corrupção da cultura indígena, por quê a politização dos mesmos indios pelas ONGS DA PICARETAGEM INDIGENISTA não é corrupção?

Então, fica mais que evidente que estas entidades indigenistas não estão preocupadas com cultura nenhuma. Politizar as comunidades indígenas é também corromper as mesmas.

FICA AQUI O MEU MANIFESTO PELA EXPULSÃO DAS ONGS PICARETAS CIR, CIMI E SURVIVAL INTERNATIONAL, POR CORROMPEREM AS COMUNIDADES INDÍGENAS BRASILEIRAS.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Hino de Resistência e PAZ pela Suiá Missu!!!

As armas estavam nas mãos de policiais brasileiros, mas a estratégia de desintrusão foi tomada nos salôes da ONU, palacios europeus de governo e Casa Branca por canalhas norte americanos, canadenses, ingleses (Principe Charles, dono da ong Survival international), sacerdotes católicos e protestantes do Conselho Mundial de Igrejas e indigenistas brasileiros sem carater